Login Senha
Quarta-feira, 08 de Julho de 2020 Telefone: (21)98883-3430  |  E-mail: contato@lcminformatica.com
 
Microsoft vai combater "cracks" de ativação do Windows 7

A Microsoft anunciou hoje que em breve será lançada uma atualização que detecta cópias ilegais do Windows 7. Tal atualização vai funcionar em pcs de usuários que estejam usando mais de 70 tipos de cracks de ativação diferentes.

A atualização para o Windows Activation Technologies (WAT), o software anti-pirataria anteriormente conhecido como Windows Genuine Advantage (WGA), será publicada no site de download da Microsoft em 17 de fevereiro, e oferecida como uma atualização "opcional" através do Windows Update no final deste mês, onde será marcada como " importante".

"Eu gostaria de salientar que esta atualização será voluntária, o que significa que você poderá optar por não instalá-la quando aparecer no Windows Update", disse Joe Williams, gerente geral de ativação e anti-falsificação da Microsoft, em um blog do Windows Genuine.

Diferente do que ocorreu em 2006, quando a microsoft disponibilizou aos seus clientes do Windows XP uma atualização do WGA, rotulando-a como uma atualização de segurança de alta prioridade. Vários usuários processaram a Microsoft sobre esse comportamento, quando a ação foi suspensa oficialmente apenas na semana passada. Desde então, os métodos de atualizações de software anti-pirataria têm sido menos agressivos.

Segundo Williams, a nova atualização WAT fareja mais de 70 "exploits de ativação" (termo que a Microsoft usa para denominar o que comumente chamamos de "cracks") para fugir do processo de ativação legal do produto, ou utilizar ilegalmente chaves roubadas para ativar cópias piratas do Windows 7.

Depois que a "tal" atualização for instalada, PCs que estiverem rodando cópias crackeadas passarão a exibir tela preta com uma gama habitual de notificações irritantes que marcam o sistema operacional como falsas. "Máquinas que estejam executando cópias ilegais do Windows 7 vão ser notificadas", prometeu Williams.

Williams observou também que esta atualização WAT vai conectar-se periodicamente com servidores da Microsoft para revalidar a cópia do Windows 7 e usar essa oportunidade para atualizar a assinatura de ativação e detectar novas brechas. Inicialmente, a WAT irá se conectar à Microsoft a cada 90 dias.

Williams afirmou que esta atualização destina-se a manter "a segurança de clientes e parceiros", razão pela qual a empresa utiliza explicando que o software anti-pirataria é necessário. Ela citou estudos do IDC e outros, que afirmam que até um terço de cópias falsificadas do Windows são infectados com "malwares".

 

Luis Boss, fonte Computerworld
© 2020 - Todos os direitos reservados - site seguro